Tarô - O Mago

O MAGO



E como O Louco¹ eu vaguei, sem saber ao certo aonde ir ou porque, até que percebi ter todos os recursos para fazer, e para o princípio da ação e da vontade eu retornei.




Esta é a primeira lâmina na seqüência de cartas do Tarô, representa o n° 1, o princípio criativo, o início de um ciclo e de onde provêm as demais lâminas (Arcanos Maiores). Representa a ação, a causa primeira, ponto de partida, onde se iniciam todas as coisas, novos caminhos, poder de criar e executar, concretização, ousadia, início de um novo setênio². O número 1 gera os demais números e representa unidade, fecundação, estado preliminar a todo o dualismo, o tudo e o nada, o princípio ativo que se inicia e se concentra em si mesmo.

Para Eliphas Levi “O Mago” seria a representação do adepto, aquele que ascendeu por sua vontade e suas obras e diz ainda que: “O mago é verdadeiramente o que os cabalistas hebreus chamam o microprosopo, isto é, o criador do mundo pequeno... Seu corpo e braços formam a letra Aleph, primeira do alfabeto que os hebreus tomaram dos egípcios...”

Associações:





A letra Aleph simboliza o mundo como manifestação, o fundamento e a razão dos atos, o nascimento primeiro (criança divina) e primeiro lampejo de consciência. É a primeira letra do alfabeto hebraico e não tem som. Derivou a letra A do latim e do grego e sua forma representaria 
um boi.



O Mago associa-se ainda à Kether, primeira sephirot da Árvore da Vida, diagrama pela qual a Cabala representa as vias através das quais a luz e a força criadora fluem. Sendo a primeira sephirot, Kether concentra esta força em seu estado mais sutil, que flui para as demais até alcançar o receptáculo final Malkuth (o reflexo de Kether, onde a força criadora se concentra em seu estado mais denso).







E em relação à deidades, O Mago associa-se a Toth, Deus egípcio do conhecimento, da sabedoria e inventor da escrita e a Hermes grego (ou Mercúrio Romano), o Deus mensageiro, por quem passam todas as informações. Está sempre a procura de respostas, nunca encontrando paz em sua busca pelo conhecimento.


Composição da carta: 

Embora isto varie dependendo do baralho geralmente o sentido é bem parecido. Utilizaremos o Tarô de Marselha como referência:


1) Um jovem imponente com uma mesa a sua frente dispondo de várias ferramentas (recursos) aparentemente manipulando ou fazendo algo (ação); Neste sentido ele pode representar um instrutor, alquimista, mago, químico, ilusionista, entre outros. 

2) Possui um chapéu formando o n° 8 deitado (símbolo do infinito) e, acredita-se, seu cinto simboliza a cobra que morte o próprio rabo (símbolo da eternidade), indicando sua ligação com a magia e/ou espiritualidade, fator este reforçado pela presença do bastão ou vara em sua mão (um poderoso instrumento mágico).

3) O bastão em sua mão esquerda e voltado para cima representa o recebimento das energias do astral (o bastão além de direcionar serve também para a absorção de energia) e o mago com sua mão direita (mão ativa) voltada para baixo transmite ao mundo material as energias recebidas dos planos sutis.

4) Os objetos que compões a cena, por representarem os 4 elementos, reforçam a ideia de que o mago possui total afinidade com os instrumentos que manipula e habilidade para a tarefa que executa. Além de simbolizar os 4 elementos, tais objetos simbolizam também os 4 naipes do baralho, pois cada qual está relacionado a um determinado elemento.
*varinha ou bastão -> naipe de Paus / elemento fogo
*moeda -> Ouros / elemento terra
*cálice ou taça -> Copas / elemento água
* faca ou athame -> Espadas / elemento ar

Na arte divinatória: 

Habilidade, força de vontade, diplomacia, autoconfiança, foco, ousadia, responsabilidade, poder de manipulação, energia, constância, criatividade, dedicação, dinamismo, aspirações.

Palavras-chave -> Ponto de partida, início, atividade, ação, criação
Plano Interno -> inteligência, vontade de inovar, originalidade, esperteza
Plano Externo -> alegre, jovial, simpático, comunicativo e uma pessoa de iniciativa
Plano Material -> organização e domínio dos recursos e forças
Plano Espiritual -> iniciações
Trabalho -> qualquer profissão que escolher, início de projetos, novas propostas e acordos, iniciativas, novo emprego
Amor -> conquistas, novo amor, nova etapa no relacionamento
Saúde -> tratamentos alternativos, tratamento médico leve
Finanças -> entrada de dinheiro

Lado Sombra -> charlatão; ilude e engana. Mentiroso, manipulação de maneira negativa, dispersão, agressividade, dúvidas e incertezas, falta de centrar na execução de tarefas (atitudes confusas).

O Mago pode representar o dom da alquimia e transmutação em seu lado luz ou o charlatanismo do ilusionista em seu lado sombra.


¹ A Lâmina sem número, podendo tomar o lugar de 0 ou 22, estando no início ou no fim do ciclo; é o coringa.
² Ciclo de 7 anos. A teoria dos setênios elaborada pela Antroposofia (ciência espiritual, uma filosofia com o intuito de fornecer um caminho em busca da verdade entre ciência e fé) divide nossa vida em fases que se iniciam a cada 7 anos.
Abordaremos este assunto mais profundamente em outra oportunidade.
 


Autora: Ana Freya 
http://anafreyarunemal.blogspot.com.br/2014/07/taro-o-mago.html
Nenhum comentário:
Postar um comentário