A energia por trás da magia

Existem muitas controvérsias em relação a origem da palavra "Bruxo(a)".

bruxo, religião wicca, Bruxaria
No antigo Anglo-Saxon, wicca e wicce (no masculino e feminino) referem-se à clarividências, àquele que obtém informação mágica. Da raiz destas palavras advém a palavra Wicca termo o qual atualmente é empregado para designar a "Arte", referindo-se a nossas crenças e ritos. A wicca é uma religião que honra a terra e todos os poderes que nela habitam. Isto inclui prestar homenagem aos Deuses em nossos ritos, reconhecendo-os tanto no feminino quanto o masculino da divindade. Na Wicca nós acreditamos no equilíbrio. Observe que "wych" em Saxão e "wicce" em Inglês Antigo significam "retornar, adaptar, ou moldar", segundo CABOT, Laurie. "Power of the Witch", pg 14.

  • O que isto significa para nós, bruxos?
  • Somos capazes de provocar mudanças segundo nossa vontade, ou seja, Magia?


Nós manipulamos as energias da natureza para trabalhar para nós. 
Existem basicamente dois tipos de Magia:


Positiva e Negativa

Tenha em mente que: "Não prejudicando ninguém, faça o que desejar" - VALIENTE, Doreen. The Witches Creed e "Witchcraft for Tomorrow"

Esta é a regra básica que os Wiccans são persuadidos a seguir. Possuímos as forças da natureza e do universo à nossa disposição para os trabalhos mágicos que desejarmos, entretanto devemos utilizá-las com responsabilidade e moral.
Todas as energias por trás dos trabalhos de magia são praticamente as mesmas, desta forma o intento do mago é o fator que decide qual tipo de magia será executada: positiva ou negativa.

Como saberemos que o que vamos realizar pode ser danoso a outros ou não? Uma boa alternativa seria consultar a nós mesmos:

Poderá ser o objetivo de nossa magia de alguma forma prejudicial, ou poderá se deslocar de nosso caminho se realizarmos da forma que estamos pensando em fazer?

Ok, o desejo de alguns de nós não nos dá o direito de executar um feitiço que poderia quebrar a perna de uma pessoa ou estrangular o pescoço de alguém. Simples, não? A próxima pergunta que deveremos fazer a nós mesmos é:

Nós podemos alterar a vontade de alguém com nossos feitiços?


Todos possuímos direito de escolha e não possuímos o direito de intervir no curso natural da natureza humana. O conhecimento advém com o tempo.

Lembro-me de uma situação fictícia de um filme onde uma garota praticante de magia foi humilhada na frente de seus amigos por um professor. No dia seguinte ela foi para casa e fez um boneco de voodu à imagem do professor. Neste dia, ela não foi à escola, pegou o boneco e começou a tirar as roupas do boneco. Conforme ia despindo o boneco o professor começou a se despir, envergonhando o professor.

Este exemplo é um pouco exagerado, mas é de fácil compreensão. Se causarmos a mudança indesejada no comportamento de uma pessoa (contra sua vontade) estaremos cometendo um ato antiético e incorreto. O professor não tinha o direito de maltratar um aluno, assim como você, por razões egoístas de ter prazer em ver a infelicidade de alguém. Controle seus ímpetos.

Um dos feitiços mais comuns na crendice popular é o de amor. Existem muitos livros relacionados a este tema. Na verdade o amor é uma força do íntimo humano, uma força extremamente poderosa e que deve se manifestar naturalmente. Não teremos o mesmo resultado, de forma sincera e prazerosa se não for sincero. Ao realizar um feitiço de amor devemos levar em consideração se este fará bem à pessoa a quem amamos ou se é o que realmente desejamos para nosso parceiro. Se a pessoa amada não tiver afinidade conosco, devemos pensar que, na realidade, estamos indo contra sua verdadeira vontade, sua natureza. Certamente estaríamos causando um mal, de uma maneira ou de outra a alguém.

Podemos nos recordar da Lei Tríplice. Talvez seja um retorno kármico, entretanto é interessante que usemos nossos poderes para nos auto-policiar.

Uma pequena lição de física:


Para cada ação positiva haverá uma reação positiva.
Para cada ação negativa, haverá uma reação negativa.

Bem, em um trabalho de magia negativa, a reação negativa nos retorna como se fosse um boomerang três vezes maior que como se fosse àquela energia que fizemos no trabalho. Pode ser um preço elevado.

O conhecimento da ética se adquire com o passar do tempo, com o aprendizado na Arte.


Fonte: Sorcerer Soul.
Nenhum comentário:
Postar um comentário